Terça-feira, 1 de Janeiro de 2008

ESPERO...

Eu  espero, sem saber por quem,

Mas espero, embora este esperar

Seja uma forma de o tempo passar.

Eu espero. Continuo à espera.

Ninguém vem ao meu encontro.

Não há  braços no ar de alegria

D'alguém que corra direito a mim.

Não há sorrisos de bem vindo,

Não há olhares fortuitos de esperança,

Não há flores, nem flores cheirosas,

Não há no ar o perfume das rosas.

Não, não há alguém que me espera,

Não há alguém que eu espero,

Mas continuo à espera

Não sei de quem,

Não sei de quê,

Não sei por quê.

Só sei que espero,

Só sei que espero por alguém !

 

sinto-me:
publicado por templum às 18:26
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Solidão

. ESPERO...

. OU...

. Se...

.

. ...

. À Minha Mãe

. PALAVRAS

. EXORTAÇÃO

. Agosto da minha infância

.arquivos

. Outubro 2008

. Janeiro 2008

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds